Menu inexistente!

Localize:
« Página 1: registro 1 a 30 de 18.384

Solução para a Avenida Niemeyer

Luiz Fernando Santos Reis

A população do Município do Rio de Janeiro assiste passivamente a uma disputa entre o Ministério Público e a prefeitura sobre a utilização da avenida Niemeyer, fechada desde o dia 28 de maio, fruto de decisão judicial atendendo solicitação do MP. É evidente que a preservação da vida e da segurança da população está acima de tudo, e entendemos que a atitude do MP e da Justiça tem o objetivo de defender o bem-estar público.

No entanto, o bem-estar envolve também a necessidade de a população poder se deslocar, com segurança e conforto, para executar suas obrigações diárias. Com o fechamento da Niemeyer e o desabamento ocorrido em um trecho do Túnel Acústico Rafael Mascarenhas, as pessoas que precisam se locomover entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca passaram a viver uma verdadeira via-crúcis e aumentaram enormemente o tempo que gastam diariamente em engarrafamentos.

Se o risco do uso da Niemeyer é tão iminente, a ponto de se impedir totalmente o tráfego de veículos, como permitem que ela seja usada como área de lazer? Como mostraram várias reportagens, ciclistas, skatistas, pedestres com cachorros, famílias e corredores circulam livremente sem serem incomodados pelos agentes da Guarda Municipal.

É interessante notar que, quando chove, a estrada das Canoas também deveria ser interditada, já que lá também ocorrem deslizamentos perigosos. Mas continua liberada para o tráfego de veículos dia e noite.

O município possui um dos mais modernos, se não o mais moderno da América Latina, equipamentos de monitoramento meteorológico. O Centro de Operações Rio (COR), inaugurado em 2013, é capaz de captar imagens, por meio do radar, que são extremamente importantes para detecção de chuvas e tempestades com antecedência e precisão. Localizado no Sumaré, ele envia imagens atualizadas a cada dois minutos, permitindo observar a localização, o deslocamento e a intensidade das chuvas.

Hoje, conseguimos prever com antecedência quando, em que quantidade e onde a cidade será assolada por chuvas. Além disso, muitas vezes registramos longos períodos de seca no Rio. Recentemente tivemos 21 dias seguidos sem chuva.

Por conta dessa precisão da informação que temos disponíveis com o COR, não seria lógico adotar, então, uma medida provisória para liberar a Niemeyer durante os dias secos e aliviar os congestionamentos? Principalmente considerando que, em períodos sem chuvas, os deslizamentos são raros ou inexistentes e que a solução definitiva por meio da realização das obras de contenção tem previsão apenas para novembro, isso se não faltarem recursos no meio do caminho?

Uma medida temporária possível seria a abertura da via entre 7h e 19h, ou entre 7h e 10h no sentido São Conrado – Leblon e entre 17 h e 19h no sentido inverso, em dias de tempo seco, mantendo o fechamento durante o período da noite, quando é mais difícil a adoção de ações para prevenir eventuais riscos.
Obviamente não é intenção sugerir uma solução que coloque a população em perigo, porém é impossível continuar assistindo ao caos e ao sofrimento diário de quem é obrigado de se movimentar pela região sem tentar encontrar saídas emergenciais.

Uma solução dessa natureza, se bem administrada, não apresenta riscos, mas requer coragem e capacidade de decisão de governantes e autoridades. Precisamos nos unir para analisar propostas que possam diminuir o sacrifício que a população passa.


Avenida Niemeyer é o tema do artigo do Jornal O Dia



O fechamento da Avenida Niemeyer continua sendo uma questão importante para os moradores da cidade do Rio. Na edição desta quarta-feira (17), no artigo da coluna "Infraestrutura e Negócios" , do jornal O Dia, o presidente executivo da AEERJ, Luiz Fernando Santos Reis, falou sobre a interdição da via para o tráfego e se há solução para uma possível reabertura. Segundo o presidente, há medidas para diminuir o sacrifício que a população vem passando. Confira o artigo completo abaixo:

Solução para a Avenida Niemeyer

A população do Município do Rio de Janeiro assiste passivamente a uma disputa entre o Ministério Público e a prefeitura sobre a utilização da avenida Niemeyer, fechada desde o dia 28 de maio, fruto de decisão judicial atendendo solicitação do MP. É evidente que a preservação da vida e da segurança da população está acima de tudo, e entendemos que a atitude do MP e da Justiça tem o objetivo de defender o bem-estar público.

No entanto, o bem-estar envolve também a necessidade de a população poder se deslocar, com segurança e conforto, para executar suas obrigações diárias. Com o fechamento da Niemeyer e o desabamento ocorrido em um trecho do Túnel Acústico Rafael Mascarenhas, as pessoas que precisam se locomover entre a Zona Sul e a Barra da Tijuca passaram a viver uma verdadeira via-crúsis e aumentaram enormemente o tempo que gastam diariamente em engarrafamentos.

Se o risco do uso da Niemeyer é tão iminente, a ponto de se impedir totalmente o tráfego de veículos, como permitem que ela seja usada como área de lazer? Como mostraram várias reportagens, ciclistas, skatistas, pedestres com cachorros, famílias e corredores circulam livremente sem serem incomodados pelos agentes da Guarda Municipal.

É interessante notar que, quando chove, a estrada das Canoas também deveria ser interditada, já que lá também ocorrem deslizamentos perigosos. Mas continua liberada para o tráfego de veículos dia e noite.

O município possui um dos mais modernos, se não o mais moderno da América Latina, equipamentos de monitoramento meteorológico. O Centro de Operações Rio (COR), inaugurado em 2013, é capaz de captar imagens, por meio do radar, que são extremamente importantes para detecção de chuvas e tempestades com antecedência e precisão. Localizado no Sumaré, ele envia imagens atualizadas a cada dois minutos, permitindo observar a localização, o deslocamento e a intensidade das chuvas.

Hoje, conseguimos prever com antecedência quando, em que quantidade e onde a cidade será assolada por chuvas. Além disso, muitas vezes registramos longos períodos de seca no Rio. Recentemente tivemos 21 dias seguidos sem chuva.

Por conta dessa precisão da informação que temos disponíveis com o COR, não seria lógico adotar, então, uma medida provisória para liberar a Niemeyer durante os dias secos e aliviar os congestionamentos? Principalmente considerando que, em períodos sem chuvas, os deslizamentos são raros ou inexistentes e que a solução definitiva por meio da realização das obras de contenção tem previsão apenas para novembro, isso se não faltarem recursos no meio do caminho?

Uma medida temporária possível seria a abertura da via entre 7h e 19h, ou entre 7h e 10h no sentido São Conrado – Leblon e entre 17 h e 19h no sentido inverso, em dias de tempo seco, mantendo o fechamento durante o período da noite, quando é mais difícil a adoção de ações para prevenir eventuais riscos.

Obviamente não é intenção sugerir uma solução que coloque a população em perigo, porém é impossível continuar assistindo ao caos e ao sofrimento diário de quem é obrigado de se movimentar pela região sem tentar encontrar saídas emergenciais.

Uma solução dessa natureza, se bem administrada, não apresenta riscos, mas requer coragem e capacidade de decisão de governantes e autoridades. Precisamos nos unir para analisar propostas que possam diminuir o sacrifício que a população passa.

Três novos editais

Obras de reforma e ampliação



A Prefeitura de Nova Iguaçu divulgou dois avisos de editais para obras de reforma na maternidade Mariana Bulhões e na Unidade Básica de Saúde Cerâmica. Ao mesmo tempo, a Prefeitura de Araruama contrata empresa especializada para a ampliação e reforma da Escola Comandante Sergio Ribeiro Vasconcelos. Já a Prefeitura de Macaé adiou sine die a CO-016/2019-SEMINF/SEMAOB. As informações foram publicadas no D.O do Estado, nesta quarta-feira (17).

Encontro Técnico RJ

Próximo dia 7/8, às 17h30



O próximo Encontro Técnico RJ será no dia 7 de agosto, das 17h30 às 19h30, para debater sobre a Substituição dos Cabos de Pretensão da Linha Amarela. Dessa vez, o convidado para palestrar é o Prof. Bruno Contarini, sócio-diretor da BC Engenharia e Projetos. O evento é organizado pela MD, em parceria com associada Premag, e conta com o apoio da AEERJ. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas através do e-mail: encontrostecnicos@premag.com.br. Clique aqui e saiba mais.

Novas nomeações no município e no estado do Rio de Janeiro

No Estado, o governador Wison Witzel nomeou Cleiton de Souza Rodrigues para responder internamente a chefia de gabinete da Governadoria do Estado. Já no Município, o prefeito Marcelo Crivella exonerou Roberto Rodrigues de Oliveira da presidência da Fundação Parques e Jardins, e nomeou Marco Aurélio Regalo de Oliveira para assumir o cargo de presidente da Fundação Parques e Jardins.

Novas licitações de obras

No ícone Licitações no site da AEERJ, os associados podem consultar os novos avisos de editais de obras e serviços de engenharia, publicados em formato padronizado, onde consta, além da data e hora da apresentação da proposta, os detalhes para a retirada dos editais. Dúvidas: Departamento de Comunicação: (21) 3970-3339 ou comunicacao@aeerj.org.br.

Construção pesada perde cerca de 100 mil empregos nos últimos anos



O setor da Construção Pesada do Rio de Janeiro registrou no último ano um saldo positivo de empregos com carteira assinada, de acordo com dados do CAGED/MTE, organizados pela AEERJ. Nos últimos seis meses a variação foi muito pequena, com 120 novas contratações, mas desde março os números são negativos.  

No último ano, o saldo de empregos na Construção Pesada correspondeu a 260 novas vagas. Isto é quase nada quando se compara com a perda de quase 100 mil empregos nos últimos cinco anos. Para ser exato, 97,9 mil trabalhadores ficaram desempregados deste maio de 2014, o que significou uma redução de 62% no número de empregados com carteira assinada.

Há cinco anos, a Construção Pesada no Rio tinha uma participação de 3,4% no total de empregos do Rio de Janeiro. Hoje, essa participação caiu para menos da metade, ficando em 1,5 %. Os dados do CAGED/TEM mostram ainda que a nível nacional, a Construção Pesada também demitiu, mas, mesmo assim, entre 2014 e 2019, a perda foi de 41%.

Seobras

Edital remarcado



A licitação para obras de contenção e drenagem na localidade de Jardinlândia, no município de Nova Friburgo, foi remarcada para o dia 1º de agosto, às 9h. A Seobras é o órgão licitante. Já a Prefeitura de Santa Maria Madalena divulgou aviso de edital para a execução de serviços de pavimentação em paralelepípedo em ruas do Município. As informações foram divulgadas no Diário Oficial do Estado do Rio, nesta terça-feira (16).

Tecnologia BIM

Estudo adianta uso na construção



De acordo com estudo da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), o uso de uma ferramenta tecnológica em obras públicas no Brasil, prevista para 2028, pode ser adiantada em seis anos. A expectativa é que o uso da tecnologia BIM vá diminuir, por exemplo, o custo das construções da “Minha Casa, Minha vida”, em até 20%, a partir da modelagem em 3D. Isso porque o método reduz atrasos, contratempos e prejuízos. Fonte: Seconci-Rio

Investimento em concessões pode gerar investimentos de R$ 208 bi

O Ministério da Infraestrutura prevê que leilões de privatizações e novas concessões para aeroportos, portos, ferrovias e rodovias atrairão R$ 208 bilhões em investimentos ao longo dos contratos. Algumas das rodovias já são exploradas pela iniciativa privada, como a Via Dutra e a BR-040, cujas concessões vencem em 2021. No caso dos aeroportos, entram, até 2022, todos os que ainda estão sob gestão da Infraero, incluindo Congonhas e Santos Dumont, os mais rentáveis. O governo também prevê que serão leiloados aeroportos, ferrovias e portos. Fonte: O Globo

Governador sanciona lei para uso de maquinários em obras

O governador Wilson Witzel sancionou a Lei nº 8467, de 15 de julho de 2019, que “veda a locação ou qualquer forma de cessão de maquinários para execução de obra, sem a apresentação de declaração de regularidade da mesma pela contratante”. Clique aqui e confira a lei.

Judicializar é o caminho



O setor de infraestrutura de obras públicas do Rio de Janeiro tem sofrido com o sistemático inadimplemento contratual do Poder Público, que exige a execução dos serviços por parte das empresas de engenharia, porém, há muito, não honra com os respectivos pagamentos, causando-lhes severos e incontáveis prejuízos.

A AEERJ reitera a posição de que situações como essas necessitam ser judicializadas para que as empresas de engenharia possam ter seus direitos garantidos, incluindo-se aí o recebimento de seus créditos antes que estes prescrevam.

Nesse sentido, a Justiça suspendeu as duas sanções que a SECONSERVA aplicou indevidamente à associada Dimensional Engenharia em face de sua legítima suspensão dos serviços prestados no âmbito dos contratos números 20/2014 e 10/2015, relativos à manutenção do sistema de drenagem e de logradouros da AP-5. A empresa suspendeu a execução dos serviços com fulcro no inciso XV do artigo 78, motivada por atrasos nos pagamentos superiores a 2 anos.

Apesar de respaldada na Lei 8.666/93 e nos dispositivos contratuais que asseguram essa proteção ao prestador de serviço após 90 dias de atraso no pagamento por parte da Administração Pública, a SECONSERVA, em uma atitude arbitrária e desarrazoada, aplicou multas à empresa pela paralisação.

Disposta a defender o seu mais legítimo direito, o de receber pelos serviços prestados, a Dimensional recorreu à Justiça para a anulação destes atos, obtendo decisões favoráveis nos dois processos, exaradas por Varas de Fazenda Pública distintas. Ambos os processos possuem o Silveira Ribeiro Advogados como patronos. Que essa atitude sirva de exemplo para nossas associadas. Clique aqui para ver um trecho de uma das decisões.

AEERJ na Band

Emprego na construçãio pesada



O estudo realizado pela AEERJ sobre a queda de emprego no setor da construção pesada virou notícia no Jornal da Band, no último sábado (13). Para comentar sobre o levantamento, o presidente executivo da AEERJ, Luiz Fernando Santos Reis, cedeu entrevista à emissora e falou sobre a retomada do setor e a geração de emprego. Clique aqui e acesse à reportagem completa, disponível no Linkedin da AEERJ.

Caminho Niemeyer

Novo edital da Emusa



A Emusa contrata para a execução das obras de manutenção da Praça do Caminho Niemeyer. A licitação será relizada no dia 25 de julho. Dois editais remarcados: A CN-002/2018-ASL-1.1, da Cedae, foi remarcada para o dia 21 de agosto e a CN-007/2019, do INEA, para 24 de julho. Os editais têm como objetos reforma de sistema de esgotamento sanitário e obras de infraestrutura externa de condomínio, respectivamente.

As Tabelas Referencias de Preços de Junho/2019 estão disponíveis

A Controladoria Geral do Município - CGM divulgou as Tabelas Referencias de Preços para atualização do Sistema de Custos para Obras e Serviços de Engenharia – SCO-Rio, referentes ao mês de junho de 2019.  A informação foi divulgada no D.O do Município, nesta segunda-feira (15). Clique aqui e acesse ao site da CGM.

Ernesto Ferreira Mejido é novo presidente da Geo-Rio

Ernesto Ferreira Mejido é o novo presidente da Fundação Instituto de Geotécnica do Município do Rio de Janeiro (Geo-Rio), substituindo Herbem da Silva Maia. Já a Companhia de Engenharia de Tráfego do rio de Janeiro (CET-Rio) será comandada por Airton Aguiar Ribeiro. As nomeações foram publicadas nesta segunda-feira (15) no Diário Oficial do Município.

Normas Técnicas da ABNT Construção são alteradas. Veja as mudanças!



As normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) confirmadas e publicadas no período de junho/julho de 2019 já estão disponíveis e podem ser acessadas por meio do Boletim de Normas. O documento foi elaborado conjuntamente pela CBIC e pelo Sinduscon-MG, com a correalização do Senai Nacional. Entre as normas em destaque estão os projetos referentes às telhas de policloreto de vinila (PVC) para telhado; aos aditivos químicos para concreto de cimento Portland; aos pisos assentados de placas de concreto, entre outros. Clique aqui e acesse ao Boletim atualizado. Fonte: CBIC

Guarapari - ES

Obras para construção de pontal



A Prefeitura de Guarapari, no Espírito Santo-ES vai realizar licitação para a construção da Cemei Pontal de Santa Mônica. O valor estimado da obra chega a R$ 3 milhões. Mais informações estão disponíveis na edição nº 25/2019 do AEERJ MAIS EDITAIS. Já no Estado do Rio, o DER-RJ remarcou o Pregão-018/2019 para o próximo dia 24 de julho e a Prefeitura de Macaé adiou sine die a CO-015/2019. Já no Município, a SMIH reagendou a CV-013/2019 para 26 de julho. A licitação visa obras de limpeza e desassoreamento de um canal.

Workshop em SP

Evento tem o apoio da Brasinfra



No próximo dia 22 de julho, vai acontecer O Workshop “Cases de Sucesso – Uso da tecnologia para melhoria da competitividade e do meio ambiente na mineração”. A sede da Abimaq - SP, na Vila Monte Alegre, vai receber o encontro que será realizado das 09h20 às 16h40. A Câmara Setorial de Máquinas e Equipamentos para Cimento e Mineração – CSCM está organizando o evento, com o apoio institucional da Brasinfra – na qual a AEERJ é filiada. Clique aqui para saber mais informações. 

TCM faz levantamento sobre obras de infraestrutura

O Tribunal de Contas do Município (TCM) divulgou um levantamento sobre serviços de Infraestrutura no município do Rio. Apenas 15 de 21 favelas foram atendidas por obras de infraestrutura. Do total de 52 metas, apenas 14 foram atingidas. As informações foram divulgadas pelo jornal Globo/Extra. Clique aqui e veja um pouco do estudo.

Governo prevê a extinção do eSocial e a criação de dois novos sistemas



O governo vai acabar com o eSocial - plataforma na qual empregadores devem fornecer informações sobre seus empregados – em janeiro de 2020.  No lugar, serão criados dois sistemas separados: um para informações trabalhistas e previdenciárias e outro para dados tributários. O anúncio foi feito na última terça-feira (9), pelo secretário da Previdência e Trabalho, Rogério Marinho, depois de acordo com o relator da Medida Provisória da Liberdade Econômica (881), deputado Jerônimo Goergen (PP-RS).

Sobre a novidade, o governo argumenta dizendo que os dois programas serão menos burocráticos e trarão até 50% menos exigências que o modelo atual. A equipe pretende reduzir já nos próximos dois meses o número de dados que empresas e empregadores domésticos são obrigados a informar dos atuais 900 para cerca de 500. Fonte: Folha de S. Paulo e Estadão

 

 


IGP-DI

Índice varia 0,63% em junho



Segundo informações divulgadas pela FGV, o Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 0,63% em junho, contra 0,40% em maio. Com este resultado, o índice acumula alta de 4,40% no ano e de 6,04% em 12 meses. Em junho de 2018, o índice havia subido 1,48% e acumulava elevação de 7,79% em 12 meses.

Novo laudo da Avenida Niemeyer não recomenda reabertura da via

O jornal O Globo publicou, nesta quinta-feira (11), uma matéria sobre a Avenida Niemeyer, pois, de acordo com recente relatório feito por engenheiros e geólogos convocados pelo Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, não é recomendado a reabertura da via. O jornal teve acesso exclusivo ao laudo e expôs que os peritos identificaram pontos irregulares de despejo de esgoto, que mantêm a umidade em locais onde já ocorreram deslizamentos. Além disso, apontaram a existências de “diversos blocos de rocha, de tamanhos variados”, que oferecem risco de atingirem as pistas, apesar de já estarem sendo desmontados.

No trecho final do laudo, os especialistas informaram a ausência de qualquer tipo de monitoramento efetivo de possíveis movimentos nas encostas, o que poderia ser realizado por meio da implantação de instrumentação, programas de acompanhamento por marcos topográfico ou outras técnicas disponíveis.

Entrevista com o presidente executivo da AEERJ sobre Compliance



Última entrevista da série especial do 9º seminário de Compliance da AEERJ, realizado no último dia 2 de julho, para cerca de 120 pessoas, entre associadas, poder público e entidades. O presidente executivo da AEERJ, Luiz Fernando Santos Reis, ressaltou o papel da Associação em colaborar com as empresas associadas na adoção de programa de  Compliance e na disseminação da cultura de intregridade. Durante o seminário, Luiz Fernando Santos Reis, destacou, ainda, que é fundamental que o código de ética seja internalizado e conscientizado pelas empresas para que o Programa de Compliance seja uma realidade.  

Veja a entrevista com Luiz Fernando Santos Reis, presidente executivo da AEERJ:

Casimiro de Abreu

Reforma predial



Obras para a reforma da sede da Procuradoria Geral do Município, situado na Rua Nilo Peçanha, serão realizadas por meio da Prefeitura de Casimiro de Abreu. A licitação vai ser realizada no próximo dia 26 de julho. Já a Prefeitura de Araruama divulgou concorrência para a construção de uma escola municipal bilíngue, no Complexo Manoel Fernandes Ribeiro. Ao mesmo tempo, a Prefeitura de Italva remarcou as TPs-002/2019 e 003/2019 para 1º e 5 de agosto, respectivamente.

Decreto nº 46.200

Implantação do SCO-Rio



O prefeito Marcelo Crivella publicou nesta quarta-feira (10), no D.O do Município, o Decreto Rio nº 46.200, de 9 de julho de 2019, que altera o Decreto nº 15.907, de novembro de 1996. O texto do documento dispõe sobre a “implantação na administração municipal de Sistema de Custos para Obras e Serviços de Engenharia (SCO-Rio). Portanto, a partir de agora, a SMIH é a responsável por publicar mensalmente os catálogos e boletins de custos, preços e serviços.

Premag reúne cerca de 70 pessoas em palestra na AEERJ

No último dia 3 de julho, a AEERJ sediou mais um Encontro Técnico do Rio de Janeiro, realizado pela associada Premag Sistema de Construções, em parceria com a MD Rio Engenheiros Associados. A palestra foi ministrada pelo Eng. Sérgio Hampshire, professor titular da Escola Politécnica da UFRJ e presidente da Associação Brasileira de Pontes e Estruturas - ABPE, com o tema "Projeto de Estruturas Resistentes a Sismos". A mesa foi composta pelos engenheiros B. Ernani Diaz, professor emérito da Poli/UFRJ, e Gilberto do Valle, sócio-fundador da Projest Consultoria e Projetos. No total, 70 pessoas estiveram presentes, entre projetistas estruturais, construtores e estudantes de graduação e de pós-graduação.

Convenção Coletiva de Trabalho 2019

Amanhã (11), acontecerá a quarta rodada de negociações relativas à Convenção Coletiva de Trabalho 2019. Questões relativas a dissídio, piso salarial, contribuições e demais assuntos relativos ao acordo normativo, serão debatidos por representantes do setor da construção civil com o fórum de relações Sindicais. O encontro acontece na sede do Sinduscon-Rio.

Subcontrolador da CGE fala sobre o Disque Rio Contra Corrupção



Mais uma entrevista especial no 9º seminário de Compliance da AEERJ, realizado na última terça-feira (2). Agora, com o subcontrolador-geral do Estado (CGE), Ademir Rodrigues César, que foi responsável pela abertura das palestras. Ademir aproveitou o momento para destacar algumas ações realizadas pela CGE-RJ até o momento, como o projeto Ouvidoria Itinerante, que vem realizando ações desde de janeiro/2019 e a criação do Disque Rio Contra a Corrupção – canal de comunicação da Controladoria para receber denúncias de irregularidades envolvendo agentes públicos estaduais. Em caso de denúncias, ligue para (021) 2276-6556.  Além disso, comunicou sobre a restruturação do Portal da Transparência, que já está em andamento.

Confira abaixo a entrevista com o subcontrolador-geral da Controladoria Geral do Estado (CGE-RJ), Ademir Rodrigues:

AEERJ apoia a CBIC contra o pregão para serviços de engenharia

A AEERJ, vem manifestar seu integral apoio a Comissão de Infraestrutura da Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), que é contra a utilização do “Pregão Eletrônico” para Obras e Serviços de Engenharia. O impedimento ao uso do Pregão Eletrônico para obras e serviços de engenharia tem fundamento na Resolução nº 116, de 3 de maio de 2019, na qual entende que as obras e os serviços no âmbito da Engenharia e da Agronomia são classificados como serviços técnicos especializados. Portanto, como o Pregão é uma modalidade de licitação do tipo menor preço (ou maior desconto), para aquisição de bens e serviços comuns, tal sistema não deve ser aplicado a tais serviços e obras.

Vale ressaltar que a  AEERJ é filiada a CBIC. Diante disso, a Associação disponibiliza a Cartilha do Coinfra com detalhes do que é pregão eletrônico e os ínúmeros argumentos pela não aplicação do pregão em licitações de obras e serviços de engenharia.

 
00:00:03 Alterar a senha | , sair Valid XHTML 1.0 Transitional